EUA dizem que mantêm apoio ao Brasil na OCDE, mas não dão prazo

Em nota, embaixada dos Estados Unidos informou que o apoio continua, mas que expansão da organização deve se dar a um

Por Metropoles 11/10/2019 - 14:26 hs
Foto: Reprodução

Diante da intensa repercussão da notícia de que os Estados Unidos preteriram o Brasil e apoiaram a entrada apenas de Argentina e Romênia na Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), a embaixada do país norte-americano veio a público dizer que o compromisso com o Brasil está mantido – mas não para agora.

Na nota, divulgada em português pelo serviço diplomático, a embaixada informa que “a declaração conjunta de 19 de março do presidente Trump e do presidente Bolsonaro afirmou claramente o apoio ao Brasil para iniciar o processo para se tornar um membro pleno da OCDE e saudou os esforços contínuos do Brasil em relação às reformas econômicas, melhores práticas e conformidade com as normas da OCDE. Continuamos mantendo essa declaração”.

Na conclusão do texto, os EUA dizem que apoiam a expansão da OCDE, que é uma espécie de clube dos países ricos que adotam práticas liberais na economia, mas “a um ritmo controlado que leve em conta a necessidade de pressionar as reformas de governança e o planejamento de sucessão”.

“Prioridade” para a Argentina
Em uma série de posts no Twitter, o assessor da Presidência para Assuntos Internacionais, Felipe Martins, acusou a imprensa de fazer “histeria” e justificou o apoio americano aos nossos vizinhos argentinos dizendo que o Brasil concordou com os EUA sobre a ordem de indicações.

“A Argentina enfrenta desafios conjunturais que tornam o início do processo de acessão emergencial. Por isso, Brasil e EUA concordaram com um cronograma que teria início com a Argentina”, disse ele (veja posts abaixo)

Toda a histeria sobre a OCDE na imprensa revela o quão incompetentes e desinformadas são as pessoas que escrevem sobre política no Brasil. Não há fato novo. Os EUA estão cumprindo exatamente o que foi acordado em março e agindo de acordo com o cronograma estabelecido na ocasião.

A Argentina enfrenta desafios conjunturais que tornam o início do processo de acessão emergencial. Por isso, Brasil e EUA concordaram com um cronograma que teria início com a Argentina.Trata-se de fato público e notório, omitido pela imprensa por incompetência ou desonestidade.

1.946 pessoas estão falando sobre isso