Tirar carteira de motorista sem passar pela autoescola? É o que propõe projeto de lei; entenda!

O PL ainda está no início de tramitação, sendo apresentado à Mesa Diretora da Câmara dos Deputados em 26 de junho. Ainda não há previsão para ser votado.

Por Tribuna PR 07/10/2019 - 23:46 hs
Foto: Reprodução

Um Projeto de Lei (PL) que começou a tramitar no Congresso Nacional propõe o fim da obrigatoriedade de fazer a autoescola no processo de habilitação da carteira de motorista.

A medida dá ao candidato o direito de escolher entre realizar as aprendizagens teóricas e práticas de forma autônoma ou então no Centro de Formação de Condutores (CFC). As informações são do site Portal do Trânsito.

Segundo a proposta de autoria do deputado General Peternelli (PSL/SP), as aulas de direção veicular poderiam ser ministradas por qualquer condutor habilitado no mínimo há três anos e na categoria para qual ministrará a instrução.

A parlamentar justifica o projeto afirmando que na maioria dos países as autoescolas existem, mas a frequência nos cursos é opcional.

“O candidato pode realizar toda a sua formação de maneira autônoma e realizar as provas junto ao órgão de trânsito. Se aprovado em todas as etapas, terá o direito de receber a habilitação, assim como qualquer outro cidadão que opte por realizar o processo por meio de um Centro de Formação de Condutores”, diz o  deputado federal (PSL/SP)General Peternelli.

O congressista destaca que o objetivo da medida é desburocratizar o processo e, principalmente, reduzir os custos da primeira habilitação, uma vez que a obrigatoriedade de frequência nas aulas teóricas e práticas, na opinião dele, deixa o processo de habilitação bastante caro.

+ Leia também: Saiba como funciona equipamento que pode ter causado explosão de apartamento no Água Verde

Ele diz acreditar que a aprovação da sua proposição facilitará o acesso de milhões de brasileiros à CNH. O deputado lembra que, dependendo da quantidade de aulas práticas, o desembolso do aluno pode chegar a R$ 3 mil. “É um valor incompatível com os ganhos da maioria dos brasileiros, especialmente os jovens”, alega.

O PL ainda está no início de tramitação, sendo apresentado à Mesa Diretora da Câmara dos Deputados em 26 de junho. Ainda não há previsão para ser votado.