Frutas Típicas para provar do nosso Cerrado

O paladar faz parte dos cinco sentidos humanos. E com certeza, ele deve ser explorado em uma viagem por quem é, e mesmo para quem não é apaixonado por gastronomia.

Por João Evilson 14/06/2019 - 16:30 hs
Foto: Reprodução

O paladar faz parte dos cinco sentidos humanos. E com certeza, ele deve ser explorado em uma viagem por quem é, e mesmo para quem não é apaixonado por gastronomia. Por isso, se você vier a Mato Grosso, na região de Santa Terezinha se ligue nessas dicas.  

Uma pesquisa recente feita pelo Taste Travels indica que os Millennials – nascidos após 1980 ou do início da década de 1980, até meados da década de 1990, também chamada “geração do milênio” ou “geração da internet” – escolhem seus destinos de viagem de acordo com a culinária local. O estudo afirma que 62% dos turistas brasileiros dessa faixa etária fazem a escolha com base na culinária local. Praias (56%) e espaços culturais (21%) são os próximos itens mais votados. 

No cenário internacional, o Brasil não figura entre os principais destinos, mas sabemos do nosso potencial, não é mesmo? Por isso, se você vai conhecer Santa Terezinha e região e ainda não é familiarizado com a cultura e os gostos regionais, aqui vão nossas dicas para valorizar a riqueza do país em um sentido muito natural e único: as frutas típicas da região. 

 5 frutas típicas para provar no Mato Grosso do Sul

Guavira 

 Típica do Cerrado, além de bonita, com o seu tom alaranjado vivo, seus benefícios são inúmeros. Ela tem quase 20 vezes a quantidade de vitamina C que a laranja.  

Também é rica em minerais como o magnésio, ótima para a digestão, tem fósforo e cálcio, que ajuda a fortificar os dentes e ossos, zinco e óleos essenciais. Sem falar no potássio, que é indicado para atletas por fortalecer os músculos. Por isso, já sabe, se for a Bonito, não deixe de prová-la, especialmente em receitas de sucos e sorvetes, que são uma delícia.

Bocaiúva  

Se tem uma planta multifuncional, essa é a Bocaiúva, uma palmeira existente em todo o Brasil, mas ainda mais comum no Cerrado brasileiro. Nos estados do Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, ela é muito usada na culinária. Seu fruto, um “coquinho”, vira uma espécie de amêndoa.  

Os regionais usam sua polpa grudenta para fazer receitas, farinha, sorvete, bolos, pães e até colocam na cachaça! Assim, esses frutos ricos em cálcio e potássio são valorizados no mercado econômico.  

 

Buriti 

Para nós, humanos, o buriti também é muito generoso, com seu fruto como uma fonte de alimento muito privilegiada. Ele é rico em vitamina A, B e C, fornece cálcio, ferro e proteínas. Normalmente, ele é consumido ao natural, porém sua comercialização não é tão comum,  então é mais fácil encontrá-lo entre fazendeiros. Também pode ser transformado em doces, sucos, licores e sobremesas de paladar peculiares. 

 O óleo extraído da fruta, por sua vez, é usado medicinalmente. É um vermífugo, cicatrizante e energético natural. Em produtos, suas substâncias dão cor e aroma a cremes, xampus, filtro solar e sabonetes. Incrível, não é? 

 

Ingá-do-cerrado 

Também tradicional da região do cerrado sul-mato-grossense, o Ingá-do-cerrado é fruto da Ingazeira, uma árvore muito comum nas margens de rios e lagos. O nome de origem indígena significa “embebido, empapado, ensopado”. Dizem que é por conta da sua consistência de sua polpa aquosa que envolve as sementes.  

A polpa é branca, levemente fibrosa e adocicada, bastante rica em sais minerais, e consumida ao natural. Assim como o Buriti, também é usada na medicina caseira, sendo útil no tratamento da bronquite (xarope) e como cicatrizante (chá). 

 

Cumbaru (em outros lugares, só Baru) 

Bastante explorado comercialmente, o Cumbaru, ou Baru, como é popularmente conhecido, é um legume lenhoso, com uma única amêndoa comestível, que amadurece de setembro a outubro. Sua semente é bastante nutritiva, aromática e tem alto poder antioxidante. 

De acordo com um estudo feito pela Universidade de Brasília (UnB), o consumo da castanha (ou amêndoa) do Baru previne doenças como cardiopatias, aterosclerose, câncer, diabetes, Alzheimer e até mesmo o envelhecimento precoce.  Também é rica em vitamina E, que tem função antioxidante, ajuda na imunidade do corpo e tem ações anti-inflamatórias e antivirais. 

Os óleos das amêndoas, por sua vez, são tão ricos em ômega 3, 6 e 9 com ácidos graxos insaturados (81%) quanto os peixes, assim recomendados para pessoas que seguem uma dieta vegetariana estrita, para veganos ou simplesmente por quem quer uma dieta saudável. 

 

Essas são algumas das frutas que você pode provar pela região de Bonito e outras cidades do Mato Grosso do Sul. Há ainda muitas opções para consumir na culinária local que são menos comercializadas em outras regiões. Indicamos antes e depois de praticar o Abismo Anhumas e outras aventuras da região, claro.  Prove ainda os sucos de tamarindo, cupuaçu e graviola, facilmente encontrados no centro de Bonito, feitos com frutas frescas.

Os Benefícios do Murici Para saúde

Murici

Murici é o fruto do Muricizeiro, Fruteira arbustiva, encontrada em toda a região amazônica, e no litoral das regiões norte e nordeste. pertencente à família Malpighiaceae, a mesma da acerola. OMurici com seus frutos são amarelos, medindo de 1 a 2cm e Seu sabor exótico confere a esta fruta características únicas sem paralelo dentre as fruteiras amazônicas. A colheita o Murici podem ser feita em qualquer época do ano, e o fruto maduro, somente nos meses de fevereiro a maio. O Fruto maduro é rico em gorduras e de alto valor nutritivo. O Muricié uma excelente fonte em fibrasFósforoFerroCálcioVitaminas B1Vitamina B2,Niacina, Proteínas e Vitamina C.

Atualmente existem Cerca de 200 espécies de Murici, e alguns delas são bem conhecida por você, tais como: murici amarelo, murici branco, murici vermelho, murici de flor branca, murici de flor vermelha, além do murici da chapada, o Muricida mata e o murici do brejo. normalmente os Muricizeiro não são tão grandes e altos, sempre entre 3 à 5 metros de altura

  • Murici é um alimento considerado anti-inflamatório.
  • Murici tem propriedades terapêuticas e ele é um inibidor de febre.
  • A casca do Murici é um excelente remédio para o trato gastrointestinal e no combate à diarreia.
  • Murici também é rico em tanino, o que o torna antibacteriano, antifúngico (inibe a proliferação de fungos)
  • Murici podem ser consumidos de varias formas, entre elas em Sucos, picolé, doces, Geleias, farinha e em conservas!
  • A casca do Murici tem grande benefícios Medicinais.
  • Murici tem granes benefícios para infecções da boca e garganta(gengivite, amigdalite, faringite).
  • Murici é bom para hemorroida.
  • Murici melhora o Sistema Imunológico, pois murici é rico em Vitamina C.

Resultado de imagem para imagem do pequi

Pequi

Pequi é só o ouro. O Pequi é uma iguaria muito apreciada em Pirenópolis. ... Opequi, Caryocar brasiliense, da família Caryocaceae, é um fruto nativo do cerrado brasileiro, consumido largamente por todo o estado de Goiás. Na língua indígena significa "casca espinhenta".

pequi, fruto do pequizeiro, é nativo do cerrado brasileiro. É muito utilizado na culinária da região Nordeste, Centro Oeste e norte de Minas Gerais. De sabor marcante e peculiar, o pequi é consumido cozido, puro ou misturado com arroz, frango.

Características da planta. Árvore de até 10 m de altura com tronco tortuoso de casca áspera e rugosa. ... Piqui ou pequi origina-se do Tupi “pyqui”, onde py = casca, e qui = espinho ( Fundação Centro Tecnológico de Minas Gerais, 1983), referindo-se aos espinhos do endocarpo do fruto (parte dura do caroço).

Este alimento tem muitos nutrientes, como as vitaminas A, C e E,betacaroteno, fibras e gorduras saudáveis. O pequi, de acordo com a nutricionista, é bom para a imunidade, para a visão, para a pele e ajuda muito a diminuir o nível de colesterol ruim.

época de produção dos frutos é de novembro a janeiro. A germinação do pequipode demorar até um ano, mas menos da metade dos caroços germinam. De todos os frutos nativos do Cerrado, o pequi é o mais consumido e comercializado, e também o melhor estudado nos aspectos nutricional, ecológico e econômico.

pequi também é rico em ácidos graxos monoinsaturados, gorduras do bem que também são encontradas nas oleaginosas e azeites. Esses ácidos graxos podem reduzir os níveis de colesterol LDL do sangue, evitando acúmulo de placas de gordura e trazendo benefícios para a saúde do coração.

Cada 100 gramas de pequi possui 65,9% de água; 205 calorias; 2,3 g de proteína; 13 g de carboidratos; 19 g de fibra alimentar; 0 colesterol; 32 mg de cálcio; 34 mg de fósforo; 0,6 mg de manganês; 0,3 mg de ferro; 298 mg de potássio; traços de sódio;0,17 mg de vitamina B1; 19 g de fibra alimentar; 0,1 g de fibras.

Resultado de imagem para imagem da cagaita
Cagaita

cagaita é uma fruta chamada cientificamente de Eugenia dysenterica. Essa espécie apresenta casca verde e amarela (perfeita para representar o Brasil, não é?), até quatro sementes em seu interior e pertence à família das Myrtaceaes, a mesma da jabuticaba e dos eucaliptos. Cagaita e uvaia também são parentes próximos!

O outro nome pelo qual é conhecida – cagaita do cerrado – já deixa claro de qual bioma brasileiro essa fruta é típica, certo? Ela pode ser encontrada nos Estados de Goiás, Bahia, Minas Gerais e, claro, em regiões de Cerrado. Também pode ser conhecida por Orvalha do campo ou Uvalha do cerrado, de acordo com a região em que é encontrada.

A cagaita é uma frutinha pequena, de cerca de 3 cm, que possui sabor ácido e tem uma fama de fazer mal àqueles que a consomem. Mas será que é verdade? Venha descobrir!

Muitas pessoas acreditam que comer cagaita faz mal. Isso se deve à fama de a fruta de causar um efeito laxante em quem a consome, mas isso só é verdade em partes. Em primeiro lugar, a fruta madura deve ficar exposta ao sol por um longo período para que aconteça a fermentação de substâncias que levarão a esse efeito. Depois, é necessário que o indivíduo consuma a fruta em excesso para ser vítima dele, e já sabemos que nenhum excesso é bom, correto?

Portanto, o ideal é prezar sempre pela moderação.

Então cagaita faz mal?

Não, a menos que seja consumida em excesso e após longos períodos sob o sol, depois de já estar madura.

Mas pense pelo lado positivo: se por um acaso você tiver diarreia por comer muita cagaita, é só fazer um chá com as folhas da cagaiteira para se livrar do desconforto! E como apenas a cagaita em excesso causa esse desconforto, que tal conferir algumas receitinhas com essa fruta saborosa?

OS 4 MAIORES BENEFÍCIOS DA CAGAITA

1. Cagaita atua no controle biológico de verminose – o extrato das folhas dessa espécie é um potente moluscicida que mata os hospedeiros intermediários da verminose esquistossomose, conhecida como barriga d’água, um problema especialmente entre as crianças que moram em regiões menos favorecidas;

2. As flores de cagaiteira possuem grande potencial apícola – isso significa que produzem bastante matéria-prima para a polinização, gerando produtos alimentícios como o mel;

3. Cagaita e diabetes – a diabetes é uma doença que atinge até mesmo crianças com poucos anos de idade. Embora o ideal seja evitar o consumo excessivo de açúcares, a cagaita tem se mostrado uma boa coadjuvante no tratamento contra essa patologia;

4. Cagaita uso medicinal – a fruta, polpa, óleo, folhas e flores podem ser utilizadas no tratamento de algumas outras patologias, detalhadas abaixo, em propriedades da cagaita.

PROPRIEDADES DA CAGAITA

• Auxilia a perda de peso: o chá de folha de cagaita auxilia no processo de emagrecimento;

• Pouquíssimas calorias: 100 g da fruta fornecem entre 20 e 30 calorias;

• Vitaminas do complexo B, importantes na manutenção, respiração e reparação celular;

• Vitamina C, que fortalece o sistema imunológico e ajuda na absorção de ferro;

• Niacina, vitamina essencial para a produção de energia;

• Proteínas, reparadoras celulares;

• Alto teor de antioxidantes, que protegem as células dos efeitos nocivos dos radicais livres;

• Função diurética, excelente para evitar e melhorar do inchaço abdominal;

• Ação adstringente, que atua reduzindo inflamações;

• As flores de cagaiteira são usadas para tratar doenças renais;

• Alta concentração de cálcio, magnésio e ferro, minerais indispensáveis para o bom funcionamento do organismo;

• A cagaita (fruta) pode ser consumida in natura, em forma de geleia, licor, suco, doce ou sorvete;

• O óleo da polpa da fruta cagaita provém 2% de gorduras, compostas principalmente por ácidos graxos insaturados, ou como são conhecidos popularmente “gorduras boas”, que reduzem as taxas de colesterol no sangue;

• Apresenta atividades antifúngicas, combatendo doenças causadas por fungos.

Na segunda parte desta matéria, estaremos apresentados mais frutas que são encontradas no cerrado e varjão de Santa Terezinha e região como o murici,a azedinha, o puçá, o jatobá, a cajazinha, o Araticum do cerrado, o oiti, etc.

Fonte de Pesquisa: bibvirt.fruto.usp.br / sou agro alimentos, wikipédia, Abismo Anhaum.