Pela segunda vez este ano o IBAMA prende madeireiros por extração ilegal na Aldeia urubu Branco

Os suspeitos foram encaminhados para a Delegacia de Polícia Judiciária Civil onde estarão à disposição da justiça.

Por Agência da Notícia 06/05/2019 - 14:03 hs
Foto: Reprodução/Divulgação

Durante uma fiscalização do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Renováveis (IBAMA) juntamente com a Polícia Militar, foi feita uma denunciava que alegava extração ilegal de madeira na aldeia indígena Urubu Branco, próximo à Confresa.

Segundo as informações, para realizar a extração sem deixar rastros, os suspeitos entravam por uma fazenda próxima à aldeia, dessa forma, não seriam pegos pela fiscalização.

Ao receber a denúncia, a guarnição se dirigiu ao local, onde encontraram um caminhão que carregava madeira. Ao ser interrogado, o motorista alegou que a madeira seria carregada para a propriedade, e afirmou que era retirada da aldeia.

Os agentes da PM se deslocaram até a sede da referida fazenda onde eram descarregadas as madeiras, e lá encontraram mais um caminhão carregado de madeira prestes a ser transportada. Os homens encontrados na sede, alegaram ser funcionários de Ailton, que comandava a extração de madeira realizada.   Ao serem interrogados sobre o porte de armas, os funcionários entregaram três armas artesanais.

Dentro da mata, foi possível observar uma camionete conduzida pelo gerente da fazenda, cujo qual fugiu quando notou a presença da Polícia. Na fuga, os agentes encontraram na trilha maquinários agrícolas, e alguns veículos que estavam carregados com lascas de madeira. Um acampamento também estava sendo feito no local com algumas pessoas, que ao perceberem que a guarnição estava no local, fugiram.

Foram presos M. L. D. S., de 44 anos; D. L., de 37 anos; E. J. C., de 19 anos; I. S. L., de 36 anos; R. R. S., de 40 anos; J. P. G., de 56 anos; A. J. F. S., de 36 anos; F. F. S., de 38 anos; V. F. S., de 50 anos; E. B. S., de 32 anos e J. L. P. M., de 26 anos. Todos os suspeitos responderão pelos crimes de desmatamento, exploração econômica ou degradação de floresta em terras de domínio público. J.B.S, de 44 anos, também responderá por porte ilegal de arma de fogo de uso permitido. Além das armas artesanais entregues, os agentes encontraram uma espingarda cal.32 com 15 cartuchos deflagrados e mais 3 intactos.