Cinco vereadores de Nova Xavantina podem perder o mandato; suplentes podem ser assumir vagas

O Ministério Publico Eleitoral de Nova Xavantina entrou com uma Ação de Investigação Eleitoral, pedindo entre outras penalidades, a cassação dos diplomas dos vereadores eleitos

Por João Evilson 05/04/2017 - 18:02 hs
Foto: Reprodução - NX1

O Ministério Publico Eleitoral de Nova Xavantina entrou com uma Ação de Investigação Eleitoral, pedindo entre outras penalidades, a cassação dos diplomas dos vereadores eleitos: Fernando Nicanor de Sousa – Fernandinho (PSD), Edilson Francisco Caetano (PSD), Paulo César Trindade – Cezinha (PTB), João Machado Neto- João Bang (PSB) e Luismar Bernardes da Silva (PSD).

No próximo dia 18 de Abril, às 13 horas no fórum local, o Excelentíssimo Senhor Dr. Ítalo Osvaldo Alves da Silva, MM. Juiz Eleitoral da 26ª Zona Eleitoral/MT, convocou a audiência de instrução que pode definir a composição dos nobres Edis na câmara municipal.

Caso sejam cassados os diplomas dos vereadores supracitados, podem assumir como vereadores os seguintes suplentes: Anilton Moura (DEM), Benedito Bueno Fernandes - Ditinho (PSDB), Manoel José da Silva – Branquinho (PR) , Carla Santini (DEM) e Edemundo Aparecido (PSDB).

Entenda o caso

Segundo o Ministério Público Eleitoral, a Coligação Unidade Democrática II, se beneficiou com candidaturas fictícias de mulheres para poder abrir vagas para candidatos homens, e com isso desequilibrou o pleito, na clara tentativa de burlar a Legislação Eleitoral.

Mas segundo a defesa de todos os candidatos da Coligação, não houve má fé e tão pouco tentativa de burlar a legislação. Ainda de acordo com a defesa, teve duas candidatas que desistiram de suas candidaturas; contudo, somente uma procurou a coordenação para resolver sua situação junto a justiça eleitoral o qual foi feito, a outra candidata por problemas de saúde, desistiu; no entanto, não procurou a coordenação para fazer o tramites legais. Desta forma a defesa acredita que tudo ocorreu na maior lisura e compromisso ético e dentro da legislação, sem qualquer má fé.

Empréstimos

Caso ocorra uma eventual perca de mandatos, alguns vereadores da primeira legislatura terão que 'rebolar' para saldar um empréstimo contraindo em instituições financeiras. De acordo com informações extraoficiais, um vereador chegou a contrair um empréstimo de mais de 30 mil reais para a compra de uma carro especial; no entanto, resolveu emprestar o dinheiro a juro.

Caso perca o mandato, a parcela que vem descontada na folha de pagamento, será bloqueada e o vereador terá que pagar o empréstimo sem o salário da câmara.

Eleição atípica

A eleição do ano de 2016 foi atípica, sendo considerada a campanha mais barata da história de Nova Xavantina. Na época, foi decidido junto com todos os candidatos, com a coordenação da campanha juntamente com o Ministério Público Eleitoral, que haveria apenas dois comícios, não teria comitê eleitoral, não haveria propaganda eleitoral na TV, nem carro de sons, bem como não poderia ter bandeiras e cabos eleitorais. Em suma a campanha teria que ser feito corpo a corpo.

 Por Redação do NX1