Falta de remédios e materiais de limpeza são alguns dos graves problemas no Hospital de Confresa

Em poucas horas no Hospital Municipal de Confresa inúmeras reclamações foram feitas a reportagem.

03/10/2017 - 13:37 hs
Foto: Agência da Notícia

O direito à saúde faz parte de um conjunto conhecido como direitos sociais e é um dos principais pontos da Constituição Brasileira, que o reconhece como “direito de todos e dever do Estado”. Depois dessa decisão foi criado o SUS – Sistema Único de Saúde – que, em tese, deve atuar próximo às famílias, conhecendo a realidade de cada uma delas e encaminhando os indivíduos para exames preventivos e especialidades médicas. 

Entretanto, já não é mais novidade que esse sistema possui diversas e grandes falhas, muitas vezes, coloca em risco a saúde dos pacientes. As cenas dramáticas se repetem todos os dias quando a população procura atendimento pelo Sistema Único de Saúde (SUS) em Confresa.

A reportagem do site Agência da Notícia esteve no Hospital e conversou com alguns pacientes, o senhor Wagner Ferreira foi um deles, ele esteve internado recentemente e conta o que aconteceu nos dias que passou no hospital de Confresa.

“Olha aí dentro a coisa está feia, na área de enfermaria que eu fiquei 8 dias internado o ar condicionado não presta, das 11hs até as 17hs você falta morrer no calor, produto de limpeza não existe, água que desce do ar condicionado é que faz a limpeza do hospital, o banheiro não tem chuveiro quente para os pacientes operados tomar banho, o lençol tem dia que vem só a sujeira a coisa mais feia do mundo.  Olha só quem está dentro e que vê mesmo, a coisa aí dentro é esquisita”, falou paciente Wagner Ferreira.

A comerciante dona Laudenir da Silva reclama a questão de remédios que está em falta no maior Hospital da região.
“É muito difícil ter, sempre quando a gente vai não tem, temos que comprar”, concluiu dona Laudenir.

A dona de casa Samara Conceição reclama do Hospital Municipal.
“Eu tive um neném recentemente e a situação que estava no hospital não era boa, não tinha ar condicionado, não tinha lençol limpo, estava tudo uma bagunça. Agora estou atrás de remédio nos postos de saúde e não encontro”, concluiu dona Samara.

Temos além desses depoimentos muitos outros gravados, mas temos um em especial que é o caso da dona de casa Edivilma Rodrigues que fez uma cesariana e pegou uma infecção.
“Olha a minha cesariana abriu eu tive que voltar não tinha medicamento para minha filha recém-nascida eu tive que comprar a situação lá esta difícil”

A mãe da Edvilma dona Maria de Jesus também nos deu uma entrevista e explicou melhor o que aconteceu porque a Edvilma ainda está muito abalada com o que aconteceu. 

“Ela sentiu mal para ganhar neném, foi levada para o hospital chegando lá mandaram ela voltar para casa, dois dias depois ela voltou ao hospital, a criança já tinha feito cocô dentro dela, ela quase morreu de eclampse. Ela passou 5 dias no hospital com a neném porque ela engoliu fezes, deram alta ela chegou em casa anoite a cirurgia dela estourou porque a barriga dela estava envermelhando acima do umbigo, e entre o umbigo e a cirurgia criou um tumorzão grande cheio de pus que estourou e estava muito fedido a cirurgia, então tivemos que voltar com ela correndo para o hospital para ela fazer nova cirurgia. Eu acho que o problema dela foi cirurgia malfeita e outra coisa o hospital estava muito sujo, cama enferrujada, falta de lençol limpo, juntando tudo isso eu acho que ela pegou mesmo foi uma infecção hospitalar”, finalizou Maria de Jesus.

A questão da saúde em Confresa é caótica a Secretaria de Saúde tem que se mobilizar e procurar melhorar. A verba vem do governo federal para saúde, aí fica a pergunta “o que está acontecendo”? Procuramos a secretaria de saúde para prestar esclarecimentos cinco fezes na secretaria e duas vezes no hospital para nos responder e não a encontramos.  

A reportagem procurou a Secretária de Saúde Confresa, Edna Maria Teixeira, mas até o fechamento desta matéria a mesma não emitiu nenhum parecer.

Por Wellington Peres / Agência da Notícia