MULHER ENVOLVIDA NA MORTE DE IRMÃO DE EX-PREFEITO É PRESA EM MATO GROSSO

Matheus, logo após o carnaval, permaneceu em Aragarças porque iria visitar parentes numa fazenda em Canarana.

Por João Evilson 01/04/2017 - 22:21 hs
Foto: reprodução

A Polícia Civil de Goiás sob comando do delegado Ricardo Galvão prendeu na quinta-feira (30), em Água Boa (MT), Keila Cristina, 29 anos. Ela é acusada de participar do latrocínio (roubo seguido de morte) do empresário Matheus Coelho, 32 anos, irmão do ex-prefeito de Goiatuba-GO Marcelo Coelho.

O empresário, ex-dono de uma boate em Goiânia, foi assassinado no dia 2 de março em Aragarças-GO onde alugou uma chácara para passar o carnaval deste ano. E o caseiro desta chácara Marcos Paulo Pereira da Silva, 20 anos, teria cometido o crime com ajuda de Keila.

O delegado informou que a mulher estava na casa de amigos em Água Boa e ao ser ouvida pela autoridade policial confessou a participação no crime inclusive segurando o fio para asfixiar a vítima que foi esfaqueada pelo caseiro.

Keila explicou que foi convidada pela namorada de Marcos para participar de uma festa na chácara e lá conheceu Marcos que a convidou para fazer o crime. Os dois pediram carona ao empresário para irem numa fazenda receber um dinheiro e no caminho assassinaram Matheus e abandonaram o corpo na entrada de uma chácara.

Marcos fugiu com o carro da vítima, um Toyota Corola preto, que pretendia vendê-lo por R$ 8 mil. Só que o veículo foi apreendido pela PM de Araguaiana-MT e Marcos foi preso pela Polícia Civil de Barra do Garças.

Logo após a prisão de Marcos, Keila disse à polícia que ficou um tempo em Aragarças e depois seguiu para cidade Porto Alegre do Norte (onde reside) e na seqüência se deslocou para a cidade de Água Boa e estava na casa de amigos.

Com a prisão da mulher, a polícia chega à conclusão de que os dois menores sobrinhos do caseiro, que estão detidos acusados de participarem do latrocínio, não têm nada a ver com o crime.

“Os menores não tem nada a ver e foram envolvidos pelo próprio tio por causa do histórico dos adolescentes. Agora trabalhamos para esclarecer se tem um terceiro envolvido e até mesmo se o crime foi cometido por encomenda”, frisou o delegado.

De acordo com a polícia, Matheus pode ter sido assassinado por vingança a pedido de algum desafeto do passado que teria premeditado o crime para parecer que fosse um latrocínio. “Nós estamos trabalhando nessa hipótese sim e logo teremos mais novidades”, destacou Galvão.

A família de Matheus é de Goiatuba onde o irmão dele foi prefeito e tem várias propriedades rurais em Goiás e Mato Grosso. Inclusive Matheus, logo após o carnaval, permaneceu em Aragarças porque iria visitar parentes numa fazenda em Canarana.

Por JOrnal da CidadeMT